Pudesse eu…

Soubesse eu ter o dom das palavras para te dizer o que penso. Mas não o tenho, sei dizê-lo apenas de uma maneira.

Fazes-me povoar a imaginação de viciosas ideias de deleites inconfessáveis. Fazes-me desejar trincar-te a carne como se trinca a alma. Ah pudesse eu ter letras suficientes para construir as mais belas palavras, e brincar de puzzle e construir frases e textos e capítulos e livros com tudo o que vejo. Mas não tenho. Tenho apenas uma forma de o dizer, de o escrever.

Soubesse eu pegar em pincéis e telas, e soubesse eu desenhar e colorir quadros de sonhos que sonhei. Pudesse eu murmurar em tons pastel a paz que me dás e a fervorosa calma que me aconchegas. Mas não sei. Sei apenas desenhar numa qualquer cor num qualquer papel as letras que repito.

Pudesse eu fechar-te os olhos e fazer-te sonhar, imaginar, alcançar tudo aquilo que eu próprio sonho, nem que fosse apenas dar-te a mais pequena gota do grande oceano em que me fazes navegar.

Pudesse eu conseguir fazer sair as palavras destes rudes lábios e fazer-tas chegar ao teu coração. Mas não consigo…

Pudesse eu fazer-te sentir…

…tudo.

Mas não posso, não consigo…

Apenas sei escrever, és bela…

Anúncios

40 responses to “Pudesse eu…

  • Miquellina

    Pudesse eu…e desejaria em dobro para ti…tudo o que me desejas a mim!!

    E sim, és belo!

  • John Doe

    Flor:

    🙂

  • John Doe

    Miquellina:

    Obrigado

  • green_eyes

    Mas quem é que precisa do dom da palvra ou da arte dos pinceis quando escreve com tanta alma?

  • John Doe

    Obrigado Green_eyes.
    Preciso eu…

  • Moi

    Grandes palavras…fiquei deveras emocionada!!!! a sério..espetacular!!

  • John Doe

    Moi:

    Com esses elogios, quem fica emocionado sou eu…

    Obrigado pela leitura.

  • Anónimo

    … sorte a dessa mulher para a qual pintas este quadro magnífico e que te deseja o dobro.

    Não me canso de de te dar os parabéns SINCEROS
    Escrita doce e envolvente.

    Anya

  • John Doe

    Todos os escritos são a mais pura imaginação Anya…

    Todos os escritos não passam de sonhos…

    Como em tudo, há uma base de verdade para toda a ilusão, mas não deixa de ser uma ilusão…

  • immortal

    não é ilusão, é algo que sentes, que te vem do fundo, pode não ser dirigido a alguém, mas sentes, e no sentir não há ilusão

  • John Doe

    Será que não immortal? Será que tudo o que se sente não é a mais pura ilusão? Não será o Amor apenas um ideia ilusória e dolorosa do que é viver?

  • immortal

    nao, não é…o que sentimos é verdadeiro…ilusão é muita vezes acreditar nos sentimentos, no Amor dos outros, daí ser-mos iludidos…o que nós sentimos é verdadeiro
    o amor só é doloroso quando se deixa de viver, de sentir…

  • John Doe

    E como viver um amor único? E como viver continuar a viver num amor, que embora verdadeiro, seja de um sentido? Viver nesse amor não é mais doloroso que pura e simplesmente deixar de amar tudo e todos?

  • immortal

    não se deve nunca deixar de amar, isso é quase como morrer…viver um amor de um sentido é igualmente como morrer, e se amas sabendo que és só tu que amas não pode ser ilusão

  • John Doe

    Não é o amor que se sente que é ilusão, mas sim o sonho que se levou a sentir. Isso sim uma ilusão, um sonho, bonito bem sei, mas nada mais que um sonho. É aqui, quando se chega a esse ponto, que se deseja não amar mais, não sentir mais, não doer mais…
    É morrer?
    Pois que seja…
    Que os ossos novamente sejam pó e que a carne seja comida pelos abutres, já que sinto que às vezes, até a alma me é comida pelos abutres…

  • immortal

    entendo-te..só estava a tentar dar outra volta a isso, a dar a volta naquilo que eu quero acreditar que tem que ser assim
    ao ler isso que acabaste de escrever estou a ouvir a voz de uma pessoa a dizer-mo

  • John Doe

    Percebo-te… e se consegues dar essa volta, força. Fico contente por ti…
    Eu é que não sei que voltas lhe eide dar.

  • immortal

    sabes sabes
    e espero daqui a uns tempos ler as tuas palavras a dizer isso…
    eu tb ja perdi a esperança muitas vezes…amar, sei q amei uma vez, sofri, achei que não ia mais amar quem podia perder, ainda não tive “tempo” p voltar a amar, mas não fechei a porta às pessoas, no entanto confesso que tenho medo de voltar a amar…

  • John Doe

    Nem sei se sei…

    Sei apenas o que tenho agora. Não me apetece arriscar para mais nada…

  • immortal

    claro que agora não te apetece…agora e suponho que por uns tempos…acredita, quando menos esperares vai-te apetecer arriscar, e aí vais-me dar razão 🙂

    não estou a dizer por dizer, estou a dizer porque sei, as coisas surgem, do inesperado por mais que nos fechemos e fujamos das pessoas

  • John Doe

    Talvez o nunca esteja presente. Já vivi o suficiente para o poder dizer…

    E quando as coisas surgem, matam-se, como já matei…

  • Miquellina

    Jonh!!

    Tu já não me amas?? Hum??

  • John Doe

    Oh Miquellina:

    😀

    Só tu para me fazeres rir neste momento….

    Tu brincas, mas sabes que há gente que pensa que é verdade? Sabes que há pessoas que imaginam um romance de cordel à volta da Miquellina e do John?
    O nosso amor é bom e bonito…

  • Miquellina

    E tinhas de estragar o factor surprise?? Mania…

    Aviso ás leitoras aqui da Mique…eu e o Jonh, não temos um romance de cordel…o cordel é uma coisita frágil, aspera…temos mesmo um amor bonito e bom…e mais não digo…

    (e fazer-te rir é um grande dom)

  • John Doe

    É um dom teu sim senhor…

  • Miquellina

    Jonh…

    Agora fiquei á toa!

    😉

  • John Doe

    Já não posso dizer que esse seja um dom meu…

  • Miquellina

    Deixar-me á toa??

    Atão não é?? Lembra-te bem…

  • John Doe

    Lá há dias em que as sortes se predestinam e nos fazem acertar…

  • Miquellina

    Meu querido….

  • John Doe

    Pequena…

  • Miquellina

    (Não vou escrever mais nada, esse pequena emocionou-me, e tu sabes que sou sensivel…e que quando me arrepio…acontecem coisas…por isso…nem mais uma letrinha hoje…meu querido!)

  • John Doe

    Outras letras noutros dias…

    Eheheheheheh!!!!

    Tenho a agradecer cada riso que me fazes dar…

  • Sanxeri

    Há cartas de amor simples mas tão lindas… 🙂 Adorei a profundidade das palavras.

  • John Doe

    Sanxeri:

    Obrigado

  • Sininho

    Pudesse eu ter escrito este seu magnífico texto e não teria pensado o meu. Mesmo assim :

    “”Pinto-te sem tela porque não encontro salpico, risco e lápis que te contorne o rosto, porque na nostalgia de ti me esqueci como és no papel. Recordo-me sim, em detalhe, como é a tua boca porque me lembro do sabor da tua língua e do cheiro que respiro do teu sopro e de como os teus lábios sentem no meu sexo. Lembro da tua pele e sombra no contorno das tuas clavículas , do pescoço que entornas para trás quando ris e me seduzes na ânsia daquele momento em fúria que me faz querer beijar os dentes brancos que mostras. Sei da tua voz. Oiço-te gemer, dizeres-me. Vejo-te voar, colas-te a mim para voar, é a minha arte, levar-te lá. Sinto as tuas mãos geladas que afagas de nervoso para não me fazeres frios, mas que ao primeiro toque morno me arrepias e me fazes contorcer num arquear de rins que seguras com os dedos longos que também reconheço vendada. Dedos que me exploram e que aceitaram aprender-me .Sei do teu olhar de menino, nessas pestanas que fazem o teu lado feminino e transbordas de amor numa luxúria cor beringela. Enceno-te no movimento do teu andar, tens a coreografia dos anjos quando com ar sobre os pés te moves e magentizas para o meu lado. Imagino pés num jogo de quatro amantes, em que desço para lá chegar porque és grande, e já agora, porque lá estou tão junto, me curvo e te envolvo no anel de saliva que guardo para ti.
    Escrevia-te uma ode, cantava-a rouca de grito ao anunciar aos surdos como és sublime, mas só consigo chamar-te- E dizer-te, repete até seres muito antigo, o instante que me seguras no meu espasmo de gozo e digo Shhhhhhh, para o não deixares saír de mim.””

    Bem -haja

  • John Doe

    Bem-haja a si, que me permite ler belos textos como este que acaba de escrever.

    Permita-me a ousadia…

    Quero mais…

  • Sininho

    Não há ousadia, estou grata por me ter cruzado aqui; de o ler e responder com tesselas de mim. Que painel bizantino este que me permite ir compondo colada ao seu. é minha honra e privilégio me aceitar e comentar.

  • John Doe

    Permita que divida consigo a honra e o privilégio de a ler e de a comentar. Este é um espaço aberto a todos e, como bem lá no principio disse, bem vindo seja quem por bem vier…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: