Calmaria

Sente os dedos entrarem por entre os cabelos lisos, escorrendo a ponta até à nuca. Os olhos fixos nele deixam-se fechar nas sensações que se vão apoderando do seu corpo, libertando os gemidos incontidos do prazer da carícia que sente. Os lábios entreabertos, convidativos nos beijo que se lhes dá, deixando a boca escorregar pela pele até ao pescoço, na curvatura do maxilar, mesmo por baixo da orelha, escorregando até ao inicio dos ombros. O nariz que esfrega na fronteira do cabelo, trazendo com ele o aroma de um perfume que é só dela. As mão vagueantes, ladras do pudor, destemidas, que deambulam pela barriga, invadem o decote aberto e desnudam os ombros, deixando a peça de roupa cair pelos braços ficando presas no cotovelo. Peito nu, livre às caricias que não se contêm, boca sem vergonha que deixa rasto de saliva por onde passa, chegando ao seu destino. Sente-se o bater do coração nos lábios, nos descompasso acelerado de quem se deixa descobrir, sorvendo com eles o calor que naturalmente emana da pele tão sedosa quanto arrepiada. Ajuda-se a cair o resto dos panos que cobrem, numa dança sensual, cheia de erotismos lascisvos, em que apenas os dedos têm permissão de sentir. Toques finos, marcantes de sensações em que a ausência de som faz cada suspiro parecer uma brisa forte, o roçar das peles em som característico, em que os sexos desejosos se tocam quase sem querer. Os olhos que gritam que querem, que desejam, as mãos que o mostram e o pedem, corpos lançados num chão aquecido de paixões. A ponta do lábio que sobe pela coluna, sentindo cada onda da vértebra, até que todo o corpo dela é coberto pelo dele, mordendo a nuca em toques de dentes suaves.

Sente-se o encaixe perfeito da união carnal, em que se sente que tudo o mais é completamente dispensável e sem importância.

No ar a mistura dos perfumes e do cheiro dos corpos que se amam, o suor que escorre pelos corpos, fá-los escorregar, os cabelos que se colam na testa e na cara, pinga entre eles. Lambe o suor dos seus firmes seios, sentindo o gosto do sal invadir-lhe a boca, sente-o no peito nos balanços de cada investida dentro dela, arrancando-lhe sussurros cada vez mais fortes quanto mais próximo está do seu apogeu. Ele sente-o próximo, sente-se latejante, pronto a lançar nela todo o sumo do seu prazer e num momento de tempo suspenso, numa investida mais forte, as mãos dela que o puxam, as unhas que se cravam na carne das costas, a cabeça que se lança ao lado num esgar mais forte incontido, levando-o ao cume de si, forçando-o a libertar-se de si próprio, sair do seu corpo e em êxtase cair ao seu lado.

Anúncios

22 responses to “Calmaria

  • Miquellina

    Esta sou eu, sim, que hoje fui esticar o cabelito…e tal…e faço essas coisas todas que tão bem descreves…mestre!!!

    Descreves com tanto realismo os momentos de amor…

    Beijo

  • John Doe

    Mestre? Nem de mim…

  • Miquellina

    Mestre meu…não sejas timido em publico…eu prometo não divulgar os teus segredos!! O teu toque na minha alma, o deleite com que te sinto!!!

    😉

  • John Doe

    Sou tímido apenas para quem não conheço. Quem me quiser conhecer a fundo saberá o quanto pouco tímido sou. Basta que me dêem o benefício da dúvida. Quanto aos segredos, são isso mesmo, segredos, não são para exposição pública…

    Quem os quiser saber que me conquiste. E mesmo assim… há coisas que nem às paredes confesso…

  • Miquellina

    Ando eu aqui a esforçar-me…e vou-te sabendo…e vou-te amando…e sei que não és timido…

    E sim, nem ás paredes se confessam…mas eu confesso-me a ti…

  • John Doe

    Assim como eu me vou confessando a ti…

  • Miquellina

    Pronto…resta-me escrever…Amo-te!!

  • John Doe

    É platónico eu sei, mas é dos que mais importantes são…

    Se ao menos os amigos perdessem a vergonha de dizer “Amo-te” como nós perdemos, este mundo seria tão diferente…

  • Miquellina

    Exacto…!! E sim, admiradoras aqui do Jonh…a Mique é apenas e somente uma amiga…cheia do sentido do humor, mas que ama!!

    Beijo meu querido e não te estragues, nem deixes que te estraguem, porque eu preciso de ti!!!

  • John Doe

    Vamo-nos precisando, para que não percamos a sanidade que ainda nos resta…

  • Iris Barroso

    Amar é o que resta, quando tudo o resto não funciona. Amar funciona sempre.

  • John Doe

    Bem o podes dizer…

  • Sininho

    Este texto acelera o metabolismo e seca-me a boca. Escreve assim quem amou para viver o momento.
    Lindíssimo.

  • John Doe

    E foi apenas um sonho que tive… Um desejo do real, um dia, quem sabe…

  • Sininho

    Foi um bom sonho então, se ela o sentiu, deve ter gostado muito. 🙂

  • John Doe

    Não tenho a certeza que o tenha sentido. Não tenho a certeza do Ela…

  • Sininho

    Não entendi…desculpa. não tens a certeza se ela sentiu ou quem é ela?

  • John Doe

    Mais uma vez te digo que aqui não se pede desculpas.

    Não tenho a certeza de nenhuma delas…

  • Sininho

    Ora aí está uma equação difícil…eu também teria dúvidas então.
    Se ela não existiu, anda por aí alguém aos caídos à espera de sentir concerteza. 🙂

  • John Doe

    Será????

  • Sininho

    trust me.

  • John Doe

    Quem sou eu para duvidar de uma fada!!!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: