Sem título…

Deixo a mão percorrer-te o peito até consumar o abraço, poisando os lábios na pele que se arrepia ao contacto, sussurrando “Quero-te…” ao ouvido. Sinto-te encostada a mim, quase sentindo cada vértebra que sobe pelo meu peito, sinto as tuas coxas encostadas às minhas em calma de deleites poderosos. O calor que me queima a pele, morno incêndio libertador das ânsias que nos consomem as entranhas. Gáudio nosso esse de nos alimentarmos do outro em banquetes faustos e demorados, saboreando cada momento como se fosse o único e último. Sinto-te no respirar compassado de um descanso mais que merecido, delicadeza pasmacenta de um dia de bulício. Levantas-te voltas-te, querendo enfrentar-me como quem enfrenta o destino, olhas-me como se fosse a última vez que reparas na pinta negra que me tinge a matiz dos olhos. Vês-me no mais profundo do que sou e dos lábios soltas a palavra que se deseja ouvir, gatilho de fogo que lavra sem parar. “Sim..” falam os lábios e as mãos e os olhos e cada pedaço do teu corpo.

Fecham-se os sentidos ao belo por-do-sol que desce no horizonte, à música suave que Chapins fazem empoleirados nas frondosas árvores que no rodeiam, ao som do correr manso do rio, aos passos que outros dão na chão arenoso. Fecha-se tudo sentindo-te a ti, em cada gesto, em cada olhar.

“Beija-me…” pedes tu, como se fosse preciso requerer que tome o gosto ou não estivesse eu preparando-me para me banquetear no teu sabor. Sinto-te, na ponta dos lábios e na ponta dos dedos. Sinto-te dentro de mim.

Anúncios

22 responses to “Sem título…

  • Princesa (des)encantada

    Lindíssimo como sempre, de arrepiar… Mas… não falta uma tag?…

  • John Doe

    Qual? A dos sonhos? Não…

  • Princesa (des)encantada

    Ainda bem. Boa sorte e muito fé, que nem tudo são quimeras.

  • John Doe

    Não levar a tag de sonho não quer dizer necessariamente que seja uma realidade. Foi apenas um desabafo, um respiro. Como já te expliquei não me permito sonhar. Limito-me a esperar que a morte chegue, já que não a posso acelerar…

  • Princesa (des)encantada

    Ai, ai, ai… Por não quereres sonhar, nem acreditares nos sonhos, nunca vais usar a tag em algo que te pareça realizável. O que a mim me diz que este teu lindo respiro é uma vontade saudável. Mas claro que me vais dizer que não e admiro a tua consistência… Mas respira sim, respira mais, respira fundo. Não se vive sem respirar não é? 🙂

  • John Doe

    Não nego a vontade, por isso o respiro. E sim vive-se a respirar e respira-se a viver. Mas neste momento banho-me em realidade. Mais dura que os sonhos? Sem dúvida. Mas mais certa. Muito mais certa.

  • Princesa (des)encantada

    Confeso que estou um bocadinho baralhada com a tua resposta. Mas desejo-te de coração que essa realidade assim seja tão certa e tão boa de respirar.

  • John Doe

    Baralhada? Onde?

    Apenas digo que a realidade é mais certa que o sonho e menos má de respirar…

    Faço a analogia ao sistema político. Houve quem dissesse que “a democracia é o pior regime, à excepção de todo os outros”. Por favor substitui democracia por realidade e regime por modo de viver.

  • Princesa (des)encantada

    Baralhada porque expressaste no plano da realidade o que até aqui expressavas como quimera. Reconheces uma “vontade” e, assumindo que vives na “realidade”, e sendo a realidade “certa”, conclui-se que essa vontade está no plano do possível.
    Claro que é sempre preferível a certeza do real à incerteza, ou quase certa desilusão, do sonho. Isso não discuto nem pouco mais ou menos.

  • John Doe

    Enganas-te…

    Em lado algum expressei no plano real o que é um sonho. Se o sonho considero quimera, a realidade não. E o escrito não é sonho, mas também não é real. É apenas um respiro, uma espécie de limbo.

  • Miquellina

    Faltou a tag loura deslumbrante de olhos verdes!!!!!!!!

    Beijo

  • John Doe

    Só mesmo tu Miquellina… :D:D:D:D

  • Princesa (des)encantada

    Exacto – um respiro que é uma vontade tida por possível, no plano do real. Não é realidade ainda, mas também não é morta à nascença, porque não é sonho. É um bom limbo.

  • Miquellina

    Só eu!

    Só tu!

    Não te estragues miúdo!! Beijo

  • John Doe

    Um limbo nunca é bom… A expectativa de qual o lado para que se cai nunca é bom. Ou sou eu que sou muito calculista…

  • John Doe

    O mais que pode acontecer Miquellina é estragarem-me… Mas tudo faço para que não deixe.

  • Princesa (des)encantada

    Não é calculista… é “matemático”… O bom mesmo, é a disposição para esse risco de não se saber para que lado se cai.

  • John Doe

    Pois. Mas já corri tantos riscos na vida que a vontade de arriscar é cada vez menor.

  • morena

    so amor…

  • John Doe

    Lembrei-me de escrever esta história depois de ter conversado com uma menina que provavelmente não sabe bem o que é o amor…

  • morena

    nao sabe o que e o amor?
    como assim??

  • John Doe

    Morena:

    Eu disse provavelmente… Provavelmente não o sentiu na verdadeira essência do que é o amor.

    Mas o que é o Amor? Será algo que vai dar um post dentro de pouco tempo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: