Quem és?

Serás tu fruto da minha imaginação? Serás tu miragem saborosa do deserto infinito? Água fresca em boca sequiosa? Sombra retemperadora feita de alma?

Quem és?

Conta-me a tua essência, de onde vens e para onde vais. Chega-te mais a mim, senta-te neste banco que te ofereço e conta-me. Faz-me voar pelas estrelas do universo qual Pégaso renascido. Conta-me ao ouvido os segredos do teu ser. Deixa-me descobrir-te e conquistar-te.

Diz-me…

Diz-me como te chego, diz-me como fico. Fala-me daquela forma como só tu, em que fazes o mundo desaparecer, em que fazes a luz entrar em mim.

Ahhhhh….

Sabes-me bem.

Anúncios

18 responses to “Quem és?

  • Anónimo

    Ou muito me engano ou ela está “mortinha” por te dizer :)))

    Que boa é esta fase … a da descoberta ,não é ?

    Anya

  • John Doe

    Achas Anya?

  • Iris Barroso

    É bom quando alguém sabe bem e nos faz sentir bem.

  • John Doe

    Muito bom mesmo Iris.

  • Miquellina

    Não precisas de fazer perguntas…para as quais já tens a resposta em ti!!!

    Beijo

  • Anónimo

    Claro que acho John …

    E tu até sabes que nunca me engano… 🙂

    Mas é como já disseram e muito bem lá atrás :

    “É bom quando alguém sabe bem e nos faz sentir bem.”

    Anya

  • John Doe

    Miquellina. Não sei se as respostas que tenho são válidas. Sei lá eu alguma coisa…

  • John Doe

    Anya.
    Sei. E raramente tens dúvidas…

    😉

  • immortal

    gosto da expressão : “sabes-me bem”
    a fase da descoberte de alguém é boa, o querer, o nunca ficar-mos satisfeitos

  • John Doe

    Apanhas-te toda a essência Immortal.

  • São

    Este texto embora em prosa é autêntica poesia.
    Apetece comenta-lo com uns versos da Florbela Espanca.

    “Quem sou? Um fogo fátuo, uma miragem….
    Sou um reflexo…um canto de paisagem”

    “Sou talvez a visão que Alguém sonhou,”

  • John Doe

    Não conhecia. E encaixa na perfeição.

    Obrigado São.

  • Sininho

    Este texto sempre me deixou sem palavras, tentei encontrar o porquê do nó. É como uma Ode simples mas imensa.
    Sabes , acredito que ser ou estar no imaginário doce de alguém é sermos replicados pelo nosso melhor percebido. Clona-nos num ascendente benfazejo. Eleva-nos.
    É também sublime sentir assim, nessa ânsia doce de entrar mais um pouco desse outro lá do espelho.
    Enche a Alma, esse cheio de “Sabes-me bem”

  • John Doe

    Quando temos alguém no limbo da nossa imaginação, não é mais que essa réplica que dizes. És tu pintada das cores do nós, a mistura perfeita do que é e do que se deseja.

    Mas a verdadeira surpresa é quando do limbo passamos ao real e esta se torna infinitamente melhor que a melhor imaginação que se teve.

    Sabe de gosto, sabe de saber… a dualidade de uma palavra que podes incluir um mundo dentro dela.

  • Sininho

    Eu sei. É bom saber bem.

  • John Doe

    É óptimo saber bem. É óptima a descoberta de um novo ser, no passo compassado do tempo que é meu e de mais ninguém…

  • Sininho

    Quando, como escreves, se passa do limbo ao real, o tempo passa a ser o do outro também e aí, em conjunto, o compasso é muito mais que um de tic-tac de relógio.

  • John Doe

    Obviamente…

    Mas um dança a dois fica sempre muito mais interessante pelo som do roçar das roupas…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: