Sou o que sou em cada minuto que respiro. Sou o que o mundo me faz ser em cada momento que caminho nos passos largos do viver. Sou assim, sem mais nada. Sou assim todos os dias da minha existência. Cada minuto que passa sou igual ao minuto anterior. Grito, esbracejo, rio e choro. Sou assim em cada segundo, em cada sopro da existência de quem este mundo pisa. Sou igual a todos os outros iguais a si próprios e a outros como eu. Trabalho e luto, durmo e como. Sou mortal. Mas chego-me a ti e o ar é diferente e o grito torna-se murmurio, o esbracejo torna-se voar, o riso torna-se sorriso e o choro torna-se alegria. Sou assim todos os dias. Sou diferente quando as sortes nos juntam. És mais, és melhor. Sou como sou, sempre. Mas sou diferente contigo, sempre.

Anúncios

12 responses to “

  • Anónimo

    Quem ler este comentário não vai perceber até achar-me maluquinha…
    Detesto admitir e ainda por cima vir dizê-lo aqui
    mas vieram-me tantas coisas à cabeça

    e tou toda ranhosa de tanto chorar

    Anya

  • John Doe

    Ainda bem que também faço pensar. Mas o choro era desnecessário Anya…

  • Ventania

    A mim fez-me sorrir. Deve ser tão bom ouvir, ler, palavras dessas, que transpiram verdade e poesia.

  • John Doe

    De escrever é bom com toda a certeza…

  • John Doe

    Obrigado Gata. Bem vinda.

  • LostSoul

    Somos como somos, mutáveis a cada segundo. Somos o que somos é verdade, mas também somos o que as infinitas variáveis da vida nos fazem ser. Somos tristes às vezes, com determinadas situações e/ou pessoas, Alegre outras. De qualquer forma abençoados aqueles têm quem os faça ser diferentes do que são.

    Bonito como sempre John Doe.

  • John Doe

    Dizes bem, abençoada seja quem me faz diferente.

  • Sininho

    Despir a casca amarelecida e mostrar luzidios e regenerados. Um novo ritmo de despertares, uma bolha de ar. Um novo quadro pintado numa miríade de pantones.
    “”Às vezes, num rasgo de ironia aos meus olhos, parecem-me Branco-Luminescente com o que emana no contraste de mim na penumbra do que há-de vir; ou Verde-Pistachio quando parece ter casca dura mas se tornam à mão fácil de abrir. Lembram-me Amarelo-Açúcar quando me parecem melosos e La-Lá ou Roxo-Mirtilho quando é menos doce mas lembram bagas que ligam bem com granola e iogurte ao pequeno almoço. Vejo-os também em cores de gelado em momentos encapsulados de menina ou às vezes em degradés de incipiente Bejes-Garoto ao depurado cacao em Castanho-Chocolate Negro. Tem nuances de Cinzento- Névoa que pode carregar a Antracite-Tempestade, há alturas que os sinto Laranja-Vitamina que contagia e galvaniza quem vem à volta, ou pressinto a paleta de cores de lareira quando o calor é menos angelical , é às vezes também Rosa- algumas vezes hilariantemente-Fúschia.
    Mas em essência, para mim, pelos anjos é doirado por um pó que faz querer voar.”

  • John Doe

    E é nessa paleta de imensas cores, de imensos tons, que mesmo para mim, daltónico comprovado, o calor de quem me faz diferente me atinge e me clama, me pinta e me seduz. Vejo-me nos reflexos laranjas ondulantes dessa fogueira de ser, vejo-me nos tons café-leite que os meus olhos reflectem.

  • John Doe

    Obrigado…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: