Do nada…

Assim, do nada, há muitos poucos dias, cresceu em som esta melodia.

Primeiro, num rádio e senti saudades.

Depois, alguém com um pequeno pífaro, fez ecoar as notas de uma varanda de um qualquer prédio vizinho e voltei a sentir saudades…

Anúncios

4 responses to “Do nada…

  • Phoebe

    E não é que eu embirro com o homem? tentei, ouvi um bocadinho, mas não consigo….
    Pronto.Dele, ou lá das coisa dele, não tenho saudades, já tuas… bom, isssssso é outra coisa …

    🙂

  • Francisco

    Minha querida Phoebe, saudades imensas tuas. Tantas que não dá para descrever.

  • Phoebe

    Assim atadas pelo pé de cabeça para baixo aos molhinhos? Numa cesta , num cabaz? Estão numa gaveta, num album, num lenço? Num degrau de rua a comer um saco de bombons? Têm um selo de resposta sem franquia?
    Eu acho as minhas biseladas, um cubo cinza prateado a cheirar a pêssegos amarelos. Se calçassem sapatos estavam descalças.

    Posso sempre fazer uma sopa de cogumelos com trufas e afundamo-las. As saudades nunca deviam aprender a nadar! 🙂

  • Francisco

    Como essas e muito mais que essas… Quem nos grava a fogo faz-nos ficar assim…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: